Pesquisar este blog

Tradutor

sexta-feira, 13 de abril de 2018

7 passos - O Círculo do Sucesso !

Uma dica que vale ouro!
Aplicar o "Círculo do Sucesso" na vida pessoal é uma enorme garantia de melhoria de performance para o alcance de resultados positivos.
Entendimento:
Escolha um caminho, uma meta a ser alcançada e aplique esta ferramenta. Os resultados vão acontecer e irão te surpreender!
Quer iniciar um projeto de começar a poupar? Criar um plano de investimentos? Quer eliminar suas dívidas? Comece já!
Objetivo: Começar a criar reservas.
Estratégia: Algumas perguntas se fazem necessárias nesta etapa para definir a melhor estratégia diante do seu objetivo. Porque devo e quero criar reservas? É para quitação de dívidas? É para criar opções de investimentos? É para a criação do "colchão de segurança"? É para um plano de estudos para os filhos? É para a troca de um veículo? É para a conquista de um imóvel?
Plano de ação: Diante do objetivo que é criar reservas e foi identificado que a estratégia é para a quitação de dívidas se faz necessário traçar o plano de ação para isso. Algumas dicas são importantes, como: identificar as despesas pessoais ou da família que podem ser reduzidas ou eliminadas, mesmo que temporariamente. Criar mecanismos de substituição de produtos similares. Identificar um percentual (%) possível de sua renda para poupar e quitar as dívidas, renegociar as dívidas com juros mais altos, etc. Enfim, o plano de ação deve ser traçado, acompanhado e revisto quando necessário.
Execução: Iniciar a execução do plano de ação imediatamente, utilizando elementos fundamentais para isto : Motivação - Iniciativa - Capacidade de realização.
Avaliação: Avaliar periodicamente é essencial para a satisfação e conquista dos resultados. Esta frequência de avaliação pode ser definida de acordo com a necessidade e intensidade do objetivo identificado.
Correção: Feita a avaliação periodicamente, a identificação de problemas surgidos durante a execução do plano de ação favorece a correção de metas e direção do caminho a ser seguido.
Resultados: Comemore, vibre, compartilhe as suas conquistas e parabéns!

Agora é aplicar o "Círculo do Sucesso" novamente para uma nova conquista!!!

Esta dica vale ouro! 

Quer saber mais, continue nos acompanhando e curtindo!

Att.

Emerson Santana
Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 

Pensando em financiar um carro?

A troca de um veículo é um momento sempre muito aguardado, cercado por muitas expectativas e dúvidas. As expectativas são sempre cercadas pelo desejo de ser ter um veículo mais novo, maior, um modelo atualizado com mais itens de segurança, recursos tecnológicos e claro, mais conforto do que aquele que um dia foi o objeto de consumo mais desejado. As dúvidas parecem menores diante de tantas expectativas, mas são as que podem trazer a maior dor de cabeça. Não planejar a troca do veículo pode induzir o comprador a armadilhas que geralmente ele não irá escapar, deixando o desejo e merecimento falar mais alto, além, é claro, das taxas de financiamento. E aí é onde mora o grande perigo, pois do outro lado estão as montadoras que investem no apelo ao consumo cada vez maior, vendedores bem treinados e financeiras sedentas pelos juros da operação. Diante deste cenário, o comprador será uma presa fácil e com grandes problemas futuramente.
Mas, se o planejamento não foi feito da maneira correta e o prazo encurtou diante da “necessidade e oportunidade”, não resta outro caminho que não seja o financiamento. É exatamente neste momento que o “ilusionismo das taxas” entra em jogo.   
Vejamos a simulação atual fornecida pela instituição financeira:
A gerente do banco informou a taxa ao cliente sendo de 1,5% ao mês, já com o discurso que é “a melhor taxa do mercado”. Em termos nominais, a taxa é atraente e realmente parece ser um bom negócio, principalmente diante da magia oferecida entre o valor solicitado pelo cliente e o que a instituição de fato quer vender. O cliente solicitou um montante de R$ 20.000,00 (vinte mil Reais) e prontamente entrou o jogo do ilusionismo.
1 A financeira oferece o valor solicitado e um valor superior Não por um acaso é oferecido um valor superior e condições de parcelamento mais favoráveis, diante da solicitação inicial do cliente. Caso o cliente caia na tentação de comprar um veículo com “características melhores” ao que ele deseja, o dinheiro disponível já estará ao seu alcance.
2 Condições de parcelamento As condições de parcelamento ofertadas do valor superior serão sempre melhores que a da solicitação inicial.
3 Taxa informada e PMT (parcelas) A instituição informa a taxa do financiamento e o valor das parcelas. É exatamente no montante das parcelas que as “tarifas ocultas – TAC – Seguro Prestamista – outros serviços” estarão inseridas no financiamento, onde haverá uma divergência da taxa informada para a taxa real praticada.
4 A ilusão do valor da prestação Na sugestão apresentada, o valor inicialmente solicitado possui o menor prazo e a maior prestação. Isso claramente induz o consumidor a imaginar que tendo um valor maior disponível será mais vantagem, pois o prazo em 48 vezes e a menor prestação de toda a simulação lhe trará um alívio maior.
5 O total de juros a ser pago Saber exatamente o quanto de juros será pago na operação de financiamento, auxilia o consumidor a tomar a melhor decisão. Na simulação apresentada, o que parece inicialmente ser um benefício se torna uma grande perda financeira.
Fica a dica! Diante deste cenário, sem o planejamento ideal e não tendo outra escolha que não seja o financiamento, a melhor opção seria o valor do financiamento de R$ 20.000,00, em 24 parcelas (PMT). Mesmo sendo a taxa real a maior da simulação, assim como a prestação, o montante de juros a ser pago no final será muito inferior diante da suposta melhor oferta, podendo resultar numa economia de juros a ser pago de R$ 7.678,16 (sete mil seiscentos e setenta e oito Reais e dezesseis centavos).
Att.

Emerson Santana
Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 

Continue nos visitando