Pesquisar este blog

Carregando...

Tradutor

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Indicadores que auxiliam na Gestão Financeira de sua empresa! Saiba mais e quais são estes indicadores!

A Gestão Financeira é um conjunto de ações e procedimentos administrativos que envolvem o planejamento, a análise e o controle das atividades financeiras da empresa. Alguns indicadores auxiliam na Gestão Financeira e devem ser analisados através de critérios e formação de padrões que muito ajudam a desvendar alguns mistérios e que nos orientam com uma previsibilidade incrível. Alguns indicadores são de desempenho e outros de controles.


Saiba mais sobre estes indicadores e quais são eles...

1- Acompanhar o faturamento de sua empresa é imprescindível para entender a movimentação do mercado, os períodos sazonais, possibilidades reais de crescimento ou estagnação. Acompanhando  o faturamento mês a mês, o gestor passa a entender melhor a sua empresa, os seus clientes e seu público, podendo assim determinar ações específicas para promover o crescimento do faturamento.




2- Você tem acompanhado os seus concorrentes? O indicador de produtividade e desempenho, tendo como balizador os resultados dos seus concorrentes é importante para você descobrir as suas potencialidades e fraquezas. Saber o quanto ele cresceu, se ele mantém um bom nível de aprovação, localização, são indicadores que ajudam o gestor a traçar estratégias pontuais, sem o desperdício de recursos.


3- Saber controlar as vendas no cartão de crédito, acompanhar diariamente os seus créditos através da conciliação bancária e se a operadora está cumprindo com as taxas ofertadas é um dos grandes desafios deste indicador de controle. 


Este indicador de controle nos fornece também o perfil de consumo do cliente, nos orientando a criar estratégias para melhorar a liquidez dos recursos disponíveis, pagando menores taxas às operadoras e otimizando assim os ganhos da empresa.




4- Outro indicador de controle importante é saber como os recursos da empresa se formam e se a sua concessão de crédito ao cliente é eficiente e lhe proporciona liquidez imediata para compor o seu capital de giro. Essas informações são muito importantes pois ajudam também a elaborar o fluxo de caixa imediato e/ou futuro.



5- Indicadores de controles de saldos de caixa e banco são de extrema importância na Gestão Financeira para a determinação do fluxo de caixa e pagamentos a fornecedores. Através dos saldos disponíveis, o gestor consegue controlar e otimizar os desembolsos de caixa e banco evitando assim o pagamento de multas e juros por atrasos. 
 Controlar saldos em dinheiro, cheques, boletos, cartões de crédito e saldos bancários de várias contas promove uma tranquilidade e sabedoria ao gestor nas tomadas de decisões.



6- Ter a gestão e controle dos indicadores de faturamento contábil é imprescindível para orientar o gestor na política de vendas da empresa e se a contabilidade está emitindo as guias corretas para pagamento do imposto. Esse indicador de controle age de forma preventiva, minimizando problemas com a Receita sobre débitos ou créditos de valores calculados equivocadamente no momento de renovação do alvará, por exemplo. Diante do perfil de consumo do cliente através do aumento de vendas na modalidade cartão de crédito e ações de marketing sem planejamento, este indicador orienta de forma preventiva se haverá mudança de alíquota do imposto DAS Simples, otimizando o pagamento de impostos.


7- O indicador de desempenho através do acompanhamento do faturamento mensal,  por média anual e política de desconto muito contribui para a avaliação do gestor e aplicação de estratégias de mercado. Identificar o nível de desconto praticado pelos concorrentes ajuda o gestor a traçar a melhor estratégia para a política de desconto da empresa, otimizando o dinheiro circulante na formação de capital de giro e liquidez.








8- Indicadores de controle e produtividade de aulas,  perfil de rodagem de km/aula e de consumo de km/litro orienta o gestor no acompanhamento e determinação de um perfil de comportamento dos próprios instrutores, podendo determinar inclusive os níveis de treinamento e aprimoramento que o quadro funcional necessita.

Estes indicadores são importantes para a sua empresa?

Desde 2010, atuando no segmento de Auto Escola, a Exata Soluções Consultoria vem traçando um perfil e informações deste segmento, com o intuito de auxiliar e promover o desenvolvimento dessas empresas. A Exata Soluções Consultoria, estará publicando artigos de diversos indicadores de gestão, que poderão auxiliar essas empresas neste mercado tão competitivo.

Emerson Santana


Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 


quinta-feira, 9 de julho de 2015

Confiscaram a Poupança! E ai, você vai fazer o quê?

No início de 2015, muitos boatos sobre o confisco da poupança pelo governo surgiram e causaram um tremendo reboliço às vésperas do carnaval. Muitas pessoas sacaram em massa o dinheiro dos bancos, causando um desequilíbrio no sistema financeiro.  

A notícia se espalhou como um rastilho de pólvora pelas redes sociais através de uma montagem grosseira com a foto da Presidente no portal G1, mas, o governo tratou logo de desmentir o boato e acalmou os ânimos do mercado e da população.

A geração de pessoas nascidas no fim da década de 80 e nos anos 90 correu para buscar informações sobre o famoso confisco da era “Collor”. Muitos se assustaram ao descobrir o pânico gerado na época e relatos de inúmeras pessoas que adoeceram e informaram sobre ter o conhecimento de pessoas que suicidaram, pois perderam todo o dinheiro, patrimônio e empresas de anos e anos de muito trabalho.

Ufa!!! Mas isso passou...

E se eu te disser que o nosso dinheiro da poupança foi confiscado em 2012? E ai, você vai fazer o quê?

O brasileiro vivia naquele momento uma euforia ímpar, afinal, tínhamos saído com louvor da crise de 2008 e 2009 e vivíamos um período de crescimento, expectativas e uma confiança extrema no discurso “somos o país do futuro”, “novo modelo econômico a ser seguido pelo mundo”, “Eike Batista, a imagem do sucesso brasileiro”. Nada melhor do que um período como esse para mexer no nosso bolso e nada acontecer. E assim foi...

Entenda um pouco mais sobre o que aconteceu no artigo escrito em 07 de maio de 2012 – “Mudanças na poupança –opinão”.

O que mudou? Para os depósitos efetuados até 3 de maio de 2012; Não houve mudanças, a remuneração continua sendo Taxa Referencial (TR) + 0,5% ao mês; Para novos depósitos ou contas abertas a partir de 4 de maio de 2012; Quando a taxa Selic meta for superior a 8,5% ao ano, a remuneração continua sendo TR + 0,5% ao mês. Quando a taxa Selic meta for igual ou inferior a 8,5% ao ano, a remuneração da poupança será TR + 70% da Selic.

Neste artigo, foi feita uma breve simulação sobre o quanto o governo deixaria de remunerar a população justificando que a manutenção do crescimento da economia necessitava deste ajuste. Mais captação da poupança, mais recursos para o financiamento do déficit de moradia do país e manutenção dos programas sociais. Por que então mexer na Poupança? Pois, ao se tornar um investimento mais rentável que os Fundos de Renda Fixa, os investidores poderiam migrar esses investimentos ocasionando uma instabilidade na principal fonte de financiamento das dívidas do Governo.

A taxa Selic apresentava uma queda sequencial, embora ainda fosse uma das maiores taxas praticadas no mundo entre os países emergentes e desenvolvidos. Essa queda e o menor valor da Selic se deram até março de 2013, registrando 7,25%. A expectativa do governo era que taxa Selic fosse baixar ainda mais e por isso se mexeu na poupança. Só que a partir dai a escalada da Selic se vê até os dias de hoje e com uma expetativa de chegar a 15%. 

Vejamos na tabela abaixo:

Fonte: Bacen

Para entendermos melhor o que aconteceu com o seu bolso, faremos uma demonstração a seguir utilizando um simulador bancário que apresenta os resultados de toda essa engenharia financeira para justificar tais ações, ou seria melhor dizer, tais confiscos?
Simulação!

A Simulação abaixo foi feita pelo período de 12 meses, com valor fixo de R$ 10.000,00 (dez mil Reais), variando a taxa Selic para entendimento das mudanças das regras da poupança.

TABELA SIMULAÇÃO 1!
TX SELIC
POUPANÇA
ANTIGA
RENDIMENTO
BRUTO
6,30%
R$ 630,00
Isso mesmo!
O Governo deixou de remunerar
7,25%
POUPANÇA
ATUAL
RENDIMENTO
BRUTO
5,08%
R$ 508,00
R$ 122,00
Imagine esse cenário com 100 milhões de poupadores:
 100.000.000 x R$ 122,00 = R$ 12,2 bilhões deixaram de ser injetados na economia como remuneração dos poupadores.

TABELA SIMULAÇÃO 2!
TX SELIC
POUPANÇA
ANTIGA
RENDIMENTO
BRUTO
6,81%
R$ 681,00
O Governo não retém R$ com a Selic acima de 8,50%
9,00%
POUPANÇA
ATUAL
RENDIMENTO
BRUTO
 X
Porém, a inflação deteriora % Poupança
Em agosto de 2013 a taxa Selic era de 9,00% e a inflação de 6,09%. A poupança neste período apresentava um pequeno ganho real sobre a inflação. Poupança 6,81% e Inflação 6,09%.

 TABELA SIMULAÇÃO 3!
TX SELIC
POUPANÇA
ANTIGA
RENDIMENTO
BRUTO
7,97%
R$ 797,00
O Governo não retém R$ com a Selic acima de 8,50%
13,75%
POUPANÇA
ATUAL
RENDIMENTO
BRUTO
X
X
Porém, a inflação deteriora % Poupança
Em junho de 2015 a taxa Selic era de 13,75% e a inflação de 8,89% (Fonte: Folha UOL de 08/07/2015). Embora a poupança remunere mais financeiramente  (remuneração poupança - R$ 797,00) em comparação com a taxa Selic mais baixa (7,25% - R$ 508,00),  com a taxa Selic  mais elevada (13,75%), a poupança perde poder de remuneração diante de uma inflação mais alta (remuneração poupança – 7,97% x inflação de 8,89%).

Entendemos que as ações tomadas em 2012 foram fundamentadas numa famosa lei praticada em nosso país, a “Lei de Gerson”, a lei de levar vantagem sempre diante de um cenário que ilusoriamente beneficiava a maioria, mas que na verdade beneficiaria somente o  lado de quem tem o poder e autoridade para mexer no meu, no seu e no nosso bolso a hora que bem entende. Parabéns, vocês conseguiram durante um ano mexer no nosso bolso e nos presenteia agora com a volta da inflação e o nosso poder de remuneração em investimentos como o da poupança deteriorados.

“A poupança continua sendo um investimento seguro, com remuneração mensal e isento do imposto de renda e IOF para pessoas físicas”. Será mesmo?

Com a taxa Selic baixa, o governo ganha!
Com a inflação alta, nós perdemos!
Quando eu ganho?

Confiscaram a poupança! E aí, você vai fazer o quê?

Texto: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar

* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company

Notícias

Loading...

Continue nos visitando