Pesquisar este blog

Tradutor

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Teste - Qual a sua Permissividade no Trânsito?

Escolha, em cada questão, a alternativa que mais retrata o seu comportamento habitual, quando interage com outras pessoas no trânsito. Ao final, some a pontuação obtida e veja o resultado do seu nível de permissividade no trânsito.


01.       Quando alguém vai lhe deixar em algum lugar, com automóvel, e não existe vaga liberada para o embarque e desembarque:

a)  não se incomoda em descer em local proibido, como fila dupla, contramão, na esquina ou em local sinalizado, desde que atenda à sua necessidade;

b)  demonstra à pessoa a sua insatisfação em ter de descer em local proibido, mas se convence de que não há outro jeito;

c)  convence o motorista a procurar um lugar permitido à parada de veículo, ainda que você tenha que andar um pouco mais para chegar ao seu destino.



02.       Quando você está com um grupo de amigos em número superior à capacidade de passageiros do automóvel:

a)  entra no carro assim mesmo, se arrumando como for possível, ainda que fique apertado e/ou um no colo do outro;

b)  tenta procurar uma solução mais adequada, sugerindo que dividam os passageiros nos veículos de outros amigos, mas, na impossibilidade, resigna-se com a situação;

c)  não concorda com a situação e chama um táxi para acomodar você e outros que se convenceram de seu argumento.



03.       Se alguém lhe oferece uma carona de motocicleta, mas só tem um capacete de segurança:

a)  se for a única forma de você se locomover até onde precisa, vai assim mesmo, sem capacete;

b)  aceita a carona, mas apenas porque o condutor decidiu ficar desprotegido e lhe ofereceu o único capacete disponível;

c)  mesmo que seja a única forma de locomoção, recusa a carona.




04.       Quando um amigo lhe pede carona em seu automóvel, para ele e o filho, menor de sete anos, e você não possui o dispositivo de segurança adequado à idade da criança:

a)  leva assim mesmo, por conta da amizade, sem comentar sobre o assunto;

b)  explica para o amigo que não pode levar a criança, por não possuir o dispositivo de segurança, mas realiza o transporte, frente à insistência dele;

c)  recusa terminantemente a realizar o transporte inseguro e explica que a sua decisão procura salvaguardar a vida do filho dele.



05.       Quando você está de carona e o motorista ingeriu bebida alcoólica (independente da quantidade):

a)  vai embora com ele assim mesmo, pois confia na direção dele;

b)  explica ao motorista sua preocupação e chama um táxi para você ir embora, permitindo que ele dirija sozinho;
c)  procura convencê-lo a passar a direção para alguém que não tenha bebido ou, então, a deixar o veículo em um estacionamento.


06.       Quando você liga para o celular de alguém e a pessoa diz que está dirigindo:

a)  continua falando normalmente;

b)  diz que não quer atrapalhar e, portanto, vai falar rapidinho;

c)  diz que liga depois ou, se for muito importante, pede para a pessoa estacionar para conversar com você.



07.       Quando você está andando, na calçada, com outra pessoa e ela decide atravessar a rua fora da faixa de pedestres:

a)  atravessa junto com ela, fora da faixa;

b)  deixa-a atravessar e continua, sozinho, até a faixa;

c)  explica o perigo de seu comportamento e procura convencê-la a atravessar na faixa;



08.       Quando está em um automóvel (independente se na condição de motorista ou passageiro) e alguém não coloca o cinto de segurança (inclusive no banco traseiro):

a)  fica quieto, pois já está fazendo a sua parte, utilizando o seu cinto de segurança;

b)  informa à pessoa a necessidade de utilização do cinto e deixa a critério dela a escolha;

c)  sendo você o motorista, não segue a marcha com o veículo, se a pessoa não colocar o cinto de segurança e, sendo você um dos passageiros, exige a utilização pela outra pessoa, dizendo que vai descer do automóvel, caso não atenda ao seu pedido.


09.       Se você é passageiro e o motorista é imprudente, atendendo ao telefone celular, assistindo a um aparelho de DVD ou prestes a cometer qualquer infração de trânsito:

a)  sente-se incomodado com o comportamento dele, mas prefere não falar nada (embora o risco lhe seja igualmente potencial);

b)  deixa que ele continue no comportamento infracional e, na primeira oportunidade que tiver, comenta sobre o fato;

c)  procura impedir, prontamente, que o motorista adote o comportamento inseguro, alertando que ele está colocando a vida de todos os ocupantes do veículo em risco.



10.       Se você está em uma excursão e o ônibus utilizado para levar o grupo a um passeio estiver em fila dupla:

a)  entra assim mesmo no ônibus; afinal de contas, quem está cometendo a infração de trânsito é o motorista e não você;

b)  comenta com os outros sobre o cometimento da infração e/ou chama a atenção do motorista, mas entra no ônibus;

c)  conversa com o motorista, para tentar persuadi-lo a parar em local correto, ainda que mais distante e, na impossibilidade de convencimento, decide não entrar no ônibus e vai de táxi ao local de encontro do grupo.



Resultado: Para cada alternativa “a”, adicione 1,0 ponto e para cada alternativa “b”, 0,5 pt (não some nada para cada “c”). 


7 a 10 pontos – Você é muito permissivo no trânsito. Pode até ser alguém educado para a segurança do trânsito, mas ainda não pode se considerar um educador de trânsito. Conscientize-se de que as ações individuais não são suficientes para tornar o trânsito mais seguro, sendo necessária a colaboração de todos. Estimule os outros a seguirem o seu exemplo de motorista seguro! 


3 a 6 pontos – Você é permissivo no trânsito com certa frequência.  Embora não concorde com os comportamentos inseguros, não tem o costume de cobrar as outras pessoas. Procure fazê-lo de modo sutil, aproveitando as oportunidades para disseminar a cultura de segurança do trânsito!


0 a 2 pontos – PARABÉNS! Você é um verdadeiro EDUCADOR de trânsito, pois se preocupa tanto com seu comportamento quanto com o dos outros. Sua atitude transformadora é o ideal de todos os profissionais que atuam na área, para que a segurança do trânsito seja uma realidade no Brasil. Continue assim!

Fonte: JULYVER MODESTO DE ARAUJO, MESTRE em Direito do Estado pela PUC/SP e  ESPECIALISTA em Direito Público pela Escola Superior do Ministério Público de SP; Capitão da Polícia Militar de SP, atual Chefe do Gabinete de Treinamento do Comando de Policiamento de Trânsito; Coordenador e Professor dos Cursos de Pós-graduação do CEAT  (www.ceatt.com.br);

Conselheiro do CETRAN/SP, desde 2003 e representante dos CETRANS da região sudeste no Fórum Consultivo por dois mandatos consecutivos; Presidente da Associação Brasileira de Profissionais do Trânsito – ABPTRAN (www.abptran.org); Conselheiro fiscal da Companhia de Engenharia de Tráfego – CET/SP, representante eleito pelos funcionários, no biênio 2009/2011; Autor de livros e artigos sobre trânsito, além do blog www.transitoumaimagem100palavras.blogspot.com.

DIVULGAÇÃO (INTEGRAL) AUTORIZADA E ESTIMULADA



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Continue nos visitando