Pesquisar este blog

Tradutor

segunda-feira, 26 de março de 2012

Campanha visa aumento do rigor da Lei Seca

Os veículos de comunicação do Grupo Bandeirantes entram em peso nesta segunda-feira em uma campanha pelo aumento do rigor nas punições a motoristas que dirigem após o consumo de bebidas alcoólicas. 

O objetivo é reunir pelo menos 1,3 milhão de assinaturas, em todo o Brasil, para a proposição de um projeto de lei de iniciativa popular, que vai alterar a lei nº 9.503, de 1997. Até agora, mais de 200 mil pessoas já aderiram.

A campanha vai engrossar as fileiras do movimento “Não Foi Acidente”, criado pelo engenheiro Rafael Baltresca, de 32 anos, que teve a mãe e a irmã mortas em um acidente provocado por um motorista embriagado no ano passado. A iniciativa do jovem foi mostrada no programa “CQC, da Band, no último dia 12 de março. 

A enorme repercussão do quadro “Proteste Já” fez com que o Grupo Bandeirantes mobilizasse jornalistas, artistas, produtores e todos os demais funcionários nesta cruzada. De hoje até sexta-feira, os veículos do grupo trarão reportagens especiais sobre o assunto, buscando ampliar o número de adesões à proposta de mudança da lei. 

O promotor de Justiça Tomás Busnardo Ramadan elogiou a iniciativa. “Nos moldes atuais da lei, fica a sensação de impunidade. É preciso melhorá-la”, afirmou.  


Fonte: Do Metro noticias@band.com.br

sexta-feira, 23 de março de 2012

Entre mortos e feridos...

Salvaram-se todos?

Infelizmente, não.

Estamos apenas no primeiro trimestre de 2012 e surgiram as novas vítimas da Temporada de Caça  aberta em novembro de 2011. As vítimas são os jovens com idades entre 18 a 25 anos que passaram a contribuir com o aumento da inadimplência neste início de 2012.

Afinal, quem irá sobreviver? 

Acredito e reafirmo que a solução está pautada na inserção da Educação Financeira para crianças e jovens desde cedo na fase escolar. O país não pode mais ter gerações vítimas de uma epidemia de depressão e outras doenças somatizadas por questões financeiras pela sua ineficiência no processo educacional. Chega!!! É hora de acordar para a vida e mudar essa condição que está sendo imposta a sociedade.

Quantas famílias mais serão destruídas, desestruturadas e ficarão doentes por falta apenas de uma Política Educacional capaz de agir e cuidar da nossa saúde física e mental?

Até quando seremos vítimas dessa política insana do consumo promovida pelo próprio Governo através de suas armadilhas? (Veja o artigo - Armadilhas do Governo)

Segundo o Jornal Metro, de 23 de março de 2012, os jovens estão procurando cada vez mais, financiamentos. Entre os produtos mais caros estão os celulares, motos e carros.

Pesquisa do Serasa Experian mostra que a participação de consumidores jovens com idades entre 18 a 25 anos na demanda de créditos no Brasil corresponde a 18%. É o maior percentual desde 2008, lembram-se da "marolinha"? Somente nos meses de janeiro e fevereiro 2012, o percentual de jovens inadimplentes saltou de 11,76% para 16,15%, representando um crescimento de 37%.

Podemos atribuir esses resultados ao despreparo dos jovens em face ao crédito abundante. Logo se tornam vilões o cheque especial e cartão de crédito que possuem as taxas mais elevadas.

Não comprometer mais de 30% do orçamento com prestações é uma das regras básicas de sobrevivência financeira. O recomendável é utilizar alguns Passos para Organizar as Finanças e fazer valer o ditado: "Entre mortos e feridos, consegui me salvar."

Sucesso Sempre!!!

Texto: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company









quarta-feira, 21 de março de 2012

Como declarar seu veículo no Imposto de Renda

Preencher a declaração do imposto de renda é algo que exige cuidado minucioso do contribuinte. Neste sentido, os dados referentes ao veículo da família é um item que merece atenção.
De acordo com a Confirp Consultoria Contábil, quem possui veículos motorizados e está obrigado a declarar imposto de renda, deve preencher os dados acerca do automóvel na ficha “Bens e Direitos” do formulário e escolher o código “21 – veículo automotor terrestre”.
Em seguida, no campo “discriminação”, o contribuinte deverá informar marca, modelo, ano de fabricação, placa ou registro, data e forma de aquisição do carro.
O campo “Situação em 31/12/2010” deve ser deixado em branco, se o veículo foi adquirido em 2011, preenchendo assim, somente o espaço destinado ao ano passado. Se o veículo for mais antigo, o contribuinte deve repetir a informação declarada no ano anterior.
De olho no valor!

O campo “Situação em 31/12/2010 ou 2011” diz respeito ao custo de aquisição do carro e é importante que o valor não mude com o passar do tempo, pois será na relação deste valor com o de uma futura venda, que a Receita irá calcular a tributação sobre possíveis ganhos com o bem.

Assim, quem vender um veículo por valores maiores que R$ 35 mil e obtiver lucro pagará IR de 15% sobre o ganho de capital. Contribuintes que venderem o automóvel por valores inferiores a R$ 35 mil ficam isentos da contribuição e aqueles que tiverem prejuízo na venda também não são tributados, sendo que, neste caso, a Receita apenas registrará que a pessoa vendeu o bem.
“A Receita não está preocupada com desvalorização do veículo, mas no que você pode obter em relação ao ganho de capital com ele em caso de compra ou venda”, ressalta o diretor tributário da Confirp Consultoria Contábil, Welinton Mota.
Financiamento ou consórcio

Em caso de financiamento, explica o diretor tributário, o correto é lançar os valores que foram efetivamente pagos como valor do carro no exercício de 2011 somados os valores pagos em anos anteriores, sendo que o contribuinte não precisará informar nenhum valor no campo “Dívidas e Ônus Reais”, mas apenas lançar o desembolso total, entre entradas e prestações, em “Situação em 31/12/2011”, detalhando no campo “Discriminação”, que o veículo foi comprado com financiamento.

Em outras palavaras, se a pessoa comprou o carro em 2011, o campo "Situação em 31/12/2010" deve ficar em branco, já se o caso for o de um financiamento mais antigo, o valor declarado no camplo "Situação em 31/12/2010" deve ser igual ao declarado no IR do ano anterior e o referente a "Situação em 31/12/2011" deve ser preenchido somando os valores declarados na declaração anterior com o valor pago no ano exercício da declaração.
Quem comprou o veículo por meio de consórcio deve declarar o gasto com o consórcio feito no ano em “Bens e Direitos” com o código “95 – Consórcio não contemplado”. Mota explica que no ano que a pessoa for premiada com o carro, o campo da situação no ano de exercício deve ser deixado em branco, abrindo-se um item novo sob o código “21 – veículo automotor terrestre”. A partir daí, a declaração  deve seguir o mesmo raciocínio dos carros comprados por financiamento.
Fonte: Infomoney - terça-feira 20/3/2012, às 17:11 - site yahoo

segunda-feira, 19 de março de 2012

Feneauto - Assembléia 14 e 15 de março

" Em busca da excelência na formação do condutor brasileiro"


Olá amigos!

Informamos a todos que nos dias 14 e 15 de março de 2012 a FENEAUTO realizou Assembléia Ordinária em Brasília, sendo que, na oportunidade estiveram presentes o expressivo número 17 Representantes Estaduais para tratarmos de assuntos pertinentes ao nosso setor, e nesta Assembléia tivemos a honra de receber as maiores autoridades do país na área de trânsito, ou seja, recebemos o Presidente do CONTRAN e Diretor do DENATRAN - Dr.  Júlio Ferraz Arcoverde, que por quase 03 horas ouviu as angustias e sugestões dos representantes de nossa categoria, neste momento, em primeira mão,  o Presidente do CONTRAN  informou que a CONJUR (Coordenadoria Jurídica do DENATRAN) havia aprovado a solicitação da FENEAUTO e dos Sindicatos Estaduais quanto a redução das aprendizagem noturna, e que nos próximos dias estará sendo publicada uma Deliberação  reduzindo a aprendizagem noturna para 02 (duas) aulas nos processos de primeira habilitação e de 01 (uma) aula para os processos de mudança e adição de categoria.

Também contamos com a presença do Presidente da Frente Parlamentar do Trânsito Seguro o Deputado Federal Hugo Leal que discursou sobre a tramitação do processo de redução do IPI para aquisição de veículos de aprendizagem, bem como, do Projeto de Lei que propõe a alteração do Código de Trânsito Brasileiro, recebemos também a  Coordenadora  Geral / CGQFHT -  Sra. Maria  Cristina Hoffmann,  que falou sobre o ENIT e o  ENET e quanto a sua preocupação da melhoria na realização dos exames, e por último recebemos o Coordenador do RENACH – Sr. Jairo Mota de Castro,  que falou sobre a proposta de reformulação da Resolução 168 do CONTRAN, assim como, dos procedimentos utilizados no acompanhamento do processo de habilitação, elucidando uma série  de dúvidas e questionamentos dos Representantes Estaduais.

Recebemos ainda parceiros que apresentaram propostas de serviços ou produtos para a nossa categoria, parceiros estes que também contribuíram para a realização desta Assembléia.

Finalizando gostaríamos de reiterar nossa posição de que a FENEAUTO em conjunto com os Sindicatos Estaduais está trabalhando na direção de minimizar e adequar todas as exigências para o exercício de nossa atividade profissional, assim como, de promover a devida e necessária valorização de nossa categoria.

Aproveitamos ainda a oportunidade para agradecer a presença e participação  de todos aqueles que contribuíram com o êxito de nossa Assembléia.


Um grande abraço!


Magnelson Carlos de Souza
Presidente
Federação Nacional das Autoescolas e CFC’s - FENEAUTO

quinta-feira, 15 de março de 2012

Dia Mundial do Consumidor - 15 de março!!!

Hoje é o Dia Mundial do Consumidor!
No dia 15 de março comemora-se o Dia Mundial do Consumidor e, nesta data, são homenageados todos os consumidores do Brasil e do Mundo

Você sabe por que o direito de consumidor deve ser um assunto de seu interesse?

Todo ser humano é um consumidor.
Todas as pessoas usam água, consomem alimentos, vestem-se, utilizam serviços públicos, compram materiais para construir suas casas, móveis, CDs, revistas, livros, eletrodomésticos e utilizam serviços telefônicos e bancários, entre muitas outras coisas. Assim o consumidor pode ser determinado como todo indivíduo (pessoa física) ou empresa (pessoa jurídica) que adquire um produto ou serviço para uso próprio. 


Já as empresas ou pessoas que produzem ou vendem produtos ou serviços são chamadas de fornecedores. 

Assim, tudo o que é fornecido aos consumidores deve ter qualidade, além de preço justo e deve atender àquilo a que se propõe, sem enganar o comprador. Isso é direito do consumidor, garantido pela Lei Federal nº.8.078, de 11/09/90, que criou o Código de Defesa e Proteção do Consumidor (CDC). 

O Código, que entrou em vigor em 1991, é uma lei de ordem pública que estabeleceu os direitos e obrigações de consumidores e fornecedores, para evitar que os consumidores sofram qualquer tipo de prejuízo.

Mas, para que todos consigam defender seus interesses é importante que cada um de nós faça o seu papel com um comportamento cuidadoso e vigilante. 

Um exemplo é que recentemente, em certo estado brasileiro, vários consumidores denunciaram sobre alguns supermercados que vendiam produtos que tinham um preço na prateleira e na verdade eram mais caros quando passavam pela leitura do código de barras, essas denuncias fez com que autoridades determinassem a volta das etiquetas de preço nos produtos. 

Desta forma é dever do consumidor ter atitudes que façam com que os fornecedores o respeitem.

Agindo dessa forma você estará exercendo seu papel de cidadão ao defender seus direitos e também estará contribuindo para melhorar o nível de vida de todos os brasileiros. 

Consumidor, sempre que for adquirir algum produto, é importante pensar na qualidade, verificar a marca, disponibilidade de garantia, entre outros. 

Desejamos um ótimo dia, e que esse seja aproveitado para a reflexão sobre o seu papel quanto consumidor. 

Consumidor - parabéns pelo seu dia!!!

Fonte: Prefeitura Municipal de Chapadão do Sul  - 14 de Março de 2012

terça-feira, 13 de março de 2012

Instrução Normativa N 1 - Livros de CFC's


INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012
                                               
Institui procedimentos, no âmbito do Departamento de Trânsito de Minas Gerais – DETRAN/MG, para  normatização dos Manuais de Legislação de Trânsito utilizados pelos Centros de    Formação de Condutores – CFC’s.

                        A Coordenadora de Educação de Trânsito, no uso de suas atribuições, e em observância ao disposto no art. 3º, inciso VII, alínea b, da Resolução nº 358, de 13 de agosto de 2010, do Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN, e considerando  a necessidade de definir referências mínimas para selecionar o  material didático que expresse os conteúdos programáticos obrigatórios para os cursos de formação para habilitação de condutores de veículos automotores, de atualização para renovação da Carteira Nacional de Habilitação – CNH e de reciclagem para condutores infratores, ministrados pelos CFC’s;                         considerando a quantidade e a variedade de material didático que o mercado disponibiliza para o CFC e a dificuldade de avaliar o potencial pedagógico e didático de cada um deles;                         considerando que o Diretor de Ensino e o Instrutor de Trânsito do CFC ao escolherem, de forma democrática, o livro didático para seus alunos devem procurar uma obra que contemple o conteúdo programático de legislação de trânsito pertinente a cada curso e determinado em Resolução pelo Conselho Nacional de Trânsito – CONTRAN, que se adeque aos objetivos específicos de cada matéria ensinada e, também, a seus próprios alunos,
                    
Resolve:
                         Art. 1º Entende-se por material didático aquele livro intitulado MANUAL DE LEGISLAÇÃO ou similar, produzido com o objetivo de auxiliar no ensino e na aprendizagem de determinado conteúdo de legislação de trânsito, sob a forma de unidades ou lições, e por meio de uma organização que favoreça tanto usos coletivos – em sala de aula, quanto individuais – em casa ou em sala de aula.

                        Parágrafo único. A qualidade da obra passa pelos cuidados gráfico-editoriais, tendo impacto no tratamento dos textos e das imagens vinculadas.
  
                        Art. 2º É de inteira responsabilidade do autor a obra publicada e seu conteúdo deve ser permanentemente reavaliado e continuamente apropriado.

                       Art. 3º Compete ao CFC a livre escolha do Manual de Legislação disponibilizado, observando-se que o mesmo deverá atender aos seguintes requisitos básicos mínimos:

                        I – o autor da obra tenha conhecimento de trânsito, devidamente comprovado em sua biografia;

                        II – referências bibliográficas;

                 III – conteúdos para candidatos à primeira habilitação, renovação da CNH e condutor infrator poderão integrar um único livro, mas de forma distinta e facilmente identificáveis, vez que os objetivos são diferentes;

                        IV – a obra, expressa ortograficamente de forma correta, deve propiciar situações de ensino aprendizagem adequadas, coerentes, evoluindo harmonicamente, isentas de erros ou de indução de erros, e que envolvam o desenvolvimento e o emprego de diferentes procedimentos cognitivos, como a observação, a análise, a elaboração de hipóteses e a memorização.

                         Art. 4º O Manual de Legislação não pode se constituir em um único material didático a subsidiar as aulas ministradas pelo Instrutor de Trânsito.
                        
Parágrafo único. Outros materiais como o Código de Trânsito Brasileiro, Resoluções do CONTRAN, Portarias do Departamento Nacional de Trânsito – DENATRAN e DETRAN/MG, painéis de sinalização, simulador de situações reais, jogos interativos, filmes educativos, etc. fazem-se, também, necessários como suportes para o processo ensino aprendizagem, permeados em múltiplas linguagens de mídias e tecnologias da informação e da comunicação.

                      Art. 5º Será facultado à Coordenação de Educação de Trânsito, sem prévio aviso, a fiscalização, em observância ao disposto neste documento, do material didático utilizado pelo CFC.
                    Art. 6º Esta Instrução Normativa deverá ser afixada em local visível do CFC, para conhecimento dos discentes.

                      Art. 7º Esta Instrução Normativa entra em vigor na data de sua publicação.

MARIA CECÍLIA LOPES DE ABREU
Coordenadora de Educação de Trânsito
DETRAN/MG

quinta-feira, 8 de março de 2012

O que o mercado de trabalho valoriza nas pessoas?

Outro dia eu conversava com um amigo empresário e ele me perguntava quais seriam as principais características que eu valorizava em um empregado.

Eu nunca havia pensado nisso de um modo estruturado, mas em mais de 30 anos de atividades profissionais como empregado, gerente, consultor e empresário, acabei desenvolvendo uma lista de critérios que usei ao longo da vida e que agora compartilho com os leitores.

Essa lista não tem nenhuma pretensão científica nem esgota o assunto. Mas reflete minha opinião, sedimentada ao longo dos anos. Coincidentemente, vi no Yahoo! uma matéria tratando exatamente do caso contrário, "Os 10 comportamentos mais inadequados no trabalho".  Certamente os dois se complementam.

Usei o gênero masculino nos exemplos apenas para não ficar cansativo, mas certamente se aplicam, e bem, também às mulheres:

1 - Iniciativa/ Liderança — O LÍDER
Não esperar ordens para se mover. Fazer em primeiro lugar. Propor, sugerir, antecipar. Ter a habilidade para convencer e/ou motivar as pessoas a fazer algo, tanto por atos, quanto por palavras e exemplos. Proativo. Auto motivável.

2 - Criatividade/ Flexibilidade — O CRIATIVO
Capacidade de criar coisas novas; espírito inventivo; olhar um assunto por vários ângulos. Estar preparado e predisposto para mudanças. Ser adaptável. Ouvir e procurar compreender a motivação dos outros.

3 - Trabalho em equipe — O AGREGADOR

Gostar de trabalhar em grupo. Capacidade de se alinhar com pessoas que trabalham na mesma tarefa, ou que unem os esforços com um mesmo propósito. Ter o espírito de solidariedade que anima os membros de um mesmo grupo. Saber elogiar (pode ser em público) e saber repreender (sempre em particular).

4 - Capacidade de aprender e de mudar — O APRENDIZ

Gostar de coisas novas, ser curioso. Capacidade de procurar as respostas por si mesmo. Observador. Buscar entender o porquê das coisas. Capacidade de modificar, transformar, converter seu comportamento em função de fatos novos.

5 - Respeito à opinião alheia  — O EDUCADO

Tratar alguém ou alguma coisa com cuidado, atenção, deferência; Ter consideração, reverência. Capacidade de entender motivações diferentes das suas. Aceitar a diversidade, a divergência e a variedade de opiniões e comportamentos.  Saber ouvir. Não se irritar por bobagem.

6 - Visão de cliente/qualidade — O SERVIDOR

Ter a visão de que a pessoa que compra ou usa um bem ou serviço entregue por você (dentro ou fora da empresa) é o principal mantenedor do seu emprego. Entender qualidade como a satisfação e superação das necessidades do cliente. Querer fazer sempre melhor.

7 - Elegância no tratar e no agir — O ELEGANTE

Tratar as pessoas de modo íntegro, reto e ético. Demonstrar distinção na forma, na maneira, nos trajes. Saber escolher as palavras conforme a ocasião. Criar clima de respeito e colaboração. Ser uma pessoa "do bem". Simpático, atencioso.

8 -    Assumir compromissos e cumpri-los  — O CUMPRIDOR

Ter comprometimento. Saber se posicionar. Entender a importância de realizar a tarefa no tempo e com a qualidade prevista. Cumprir prazos. Ser confiável. Antecipar problemas que possam surgir. Não fugir da responsabilidade.

9 - Experiência anterior/ Conhecimento geral — O EXPERIENTE

Ter passado por situações similares. Saber reconhecer padrões. Conhecer modelos de processos, sistemas e organizações diversas. Gosta de ler e debater temas do momento. Conhecer e reconhecer estilos de pessoas. Ter a formação básica necessária.

10 - Conhecimento para o cargo — O PREPARADO

Ter as informações e conhecimento para o desempenho das tarefas. Conhecer os manuais de procedimentos. Saber as normas e rotinas da empresa.

Vocês vão perceber que coloquei conhecimento para o cargo como o número 10. Se você tiver as outras nove, a décima você aprende rápido!

Depois de pronta, percebi que a lista não serve apenas para empregados, mas também para gerentes, empresários, sócios, estudantes e simples colegas de trabalho. (Leitor, qual é a sua lista?)

Se você tiver várias dessas características, pode ter certeza que vai crescer profissionalmente. 

Se o seu chefe não valorizá-las, sinto muito: Troque de chefe. Ele não te merece!

Fonte:  , Em quinta-feira 8/3/2012 - site yahoo

Parabéns pelo seu dia!!!

Bem aventurada a mulher que cuida do próprio perfil interior e exterior, porque a harmonia da pessoa faz mais bela a convivência humana. 
Bem aventurada a mulher que, ao lado do homem, exercita a própria insubstituível responsabilidade na família, na sociedade, na história e no universo inteiro. 
Bem aventurada a mulher chamada a transmitir e a guardar a vida de maneira humilde e grande. Bem aventurada quando nela e ao redor dela acolhe faz crescer e protege a vida. 
Bem aventurada a mulher que põe a inteligência, a sensibilidade e a cultura a serviço dela, onde ela venha a ser diminuída ou deturpada. 
Bem aventurada a mulher que se empenha em promover um mundo mais justo e mais humano. 
Bem aventurada a mulher que, em seu caminho, encontra Cristo: escuta-O, acolhe-O, segue-O, como tantas mulheres do evangelho, e se deixa iluminar por Ele na opção de vida. 
Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sendas de esperança para a humanidade.

Parabéns a todas as Mulheres!!!

Continue nos visitando