Pesquisar este blog

Tradutor

sábado, 23 de novembro de 2013

Auto Escola - Indicador de Gestão: Cartão de Crédito!!!

AUTO ESCOLA - Você empresário, conhece os 


indicadores de gestão da sua empresa?





Desde 2010, atuando no segmento de Auto Escola, a Exata Soluções Consultoria vem traçando um perfil e informações deste segmento, com o intuito de auxiliar e promover o desenvolvimento dessas empresas. A Exata Soluções Consultoria, estará publicando artigos de diversos indicadores de gestão, que poderão auxiliar essas empresas neste mercado tão competitivo.

Indicador de Gestão: Cartão de Crédito

Cartão de crédito é uma forma de pagamento eletrônica. O cartão de crédito pode ser usado como meio de pagamento para comprar um bem ou contratar um serviço. Essa modalidade de pagamento vem a cada dia se tornando mais frequente e passou a ser adotada por toda a população que utiliza os serviços bancários. Os motivos para a utilização do cartão de crédito são variados, desde o fator segurança, comodidade, limites de crédito que proporcionam maior poder de compra, entre outros.

No segmento de Auto Escola, essa tendência não é diferente. Os clientes cada vez mais utilizam essa forma de pagamento e os empresários, também adotaram essa forma de concessão de crédito por alguns motivos, sendo eles: segurança, movimentação de menor quantidade em dinheiro em seus estabelecimentos; garantia de recebimento, diminuição do fator inadimplência; oportunidade e facilidade ao seu cliente, oferecer melhores formas de parcelamento, entre outros.


Você empresário, tem a gestão deste indicador?


* (1) Como os percentuais de vendas (%) se realizam em sua empresa? Débito (%), Crédito à vista (%) ou Crédito Parcelado (%)?

* (2) Como você incentiva as vendas no Cartão? A sua política é voltada para o Débito, Crédito à Vista ou Parcelado? Se para o crédito parcelado, qual a forma de parcelamento? Em até 3x, 6x, 10x ou 12x?

* (3) Como você negocia as taxas junto às operadoras? Não negocia? Aceita as taxas que eles praticam?

* (4) Negociar melhores taxas faz a diferença?

* (5) Vender no Cartão de Crédito, interfere no custo de venda da empresa? Ou são apenas despesas financeiras? Ou ainda, interfere na política tributária da empresa?

Estas são algumas indagações que este indicador de gestão nos sugere, proporcionando algumas reflexões.

De acordo com a questão (1), o gráfico abaixo da empresa Auto Escola "X", apresenta os percentuais de como as vendas se realizaram no 01 semestre de 2012, sendo: 28% no débito, 10% no crédito à vista e 62% no crédito parcelado.




No gráfico 02, referente ao 01 semestre de 2013, a empresa através de um acompanhamento e estratégia de venda, conseguiu agir e otimizar a utilização desta concessão de crédito da seguinte forma: aumentou a venda no débito de 28% em 2012 para 47% em 2013; diminuiu a venda no crédito parcelado de 62% em 2012 para 49% em 2013. O que isso representa? Aumentando o percentual de participação no débito e diminuindo no crédito parcelado, os custos de venda referente às taxas praticada são menores para o débito.
Vejamos um exemplo:
Simulação de venda:

Venda no Cartão; R$ 15.000,00 (quinze mil Reais) / mês

Taxa débito (Santander): 1,70%
Taxa crédito parcelado (Santander): 3,25%

Em 2012:
Débito: 28% x 15.000,00 = 4.200,00 x 1,70% =R$ 71,40 ref a taxa (custo de venda)
Crédito: 62% x 15.000,00 = 9.300,00 x 3,25% =R$ 302,25 ref a taxa (custo de venda)

Total pago referente a taxa praticada pela operadora: R$ 373,65 

Em 2013:
Débito: 47% x 15.000,00 = 7.050,00 x 1,70% = 119,85 ref a taxa (custo de venda)
Crédito: 49% x 15.000,00 = 7.350,00 x 3,25% =238,87 ref a taxa (custo de venda)

Total pago referente a taxa praticada pela operadora: R$ 358,72

Isto é, com a gestão deste indicador, acompanhando ou incentivando a mudança de comportamento para a utilização do cartão de crédito, a empresa otimizou R$ 14,92 (quatorze Reais e noventa e dois centavos) no mês apurado. Em um cenário de 12 meses, essa economia poderá representar R$ 179,10 (cento e setenta e nove Reais e dez centavos). Este valor, somado aos inúmeros itens de despesas que uma empresa detém, representará uma gestão de custos e economia significativa no ano vigente.




De acordo com a questão (2), incentivar um parcelamento muito elástico no cartão de crédito pode ser um opção não muito saudável para a empresa, haja visto, o aumento das taxas praticadas para parcelamento acima de 6 vezes.
Este segmento possui uma característica de pagamentos a credores num prazo médio de 30 dias (posto de combustível, salários, oficina mecânica e outros). Quando a empresa utiliza um parcelamento muito elástico, isso tende a comprometer o capital de giro da empresa, trazendo para perto os pagamentos e afastando os recebimentos. Isso poderá induzir o empresário a lançar mão das antecipações dos recebíveis, prática muito comum oferecida pelas operadoras de cartão de crédito a mais uma taxa de juros que pode ir de 2% a 4,5%.  Essas taxas representarão a partir de então, despesas financeiras, aumentando as despesas e comprometendo o lucro da empresa.

De acordo com a questão (3) e (4), segue um comparativo de taxas praticas pelas operadoras:

Santander:
Débito: 1,70%
Crédito à vista: 3,10%
Crédito parcelado: 3,25%
Taxa média: 2,68%

Itaú Visa:
Débito: 2,50%
Crédito à Vista: 3,80%
Crédito parcelado: 4,80%
Taxa média: 3,70%

Vale a pena negociar ou não? Uma empresa do segmento, mediante o volume de vendas no cartão de crédito negociou tais taxas. Esta empresa está otimizando os seus gastos com taxas em torno de R$ 1.600,00 (mil e seiscentos Reais) ao mês.

De acordo com a questão (5), as vendas no cartão de crédito podem influenciar a política tributária da empresa. Uma ação de vendas fundamentada no marketing pode gerar um alto custo tributário, caso essa ação promova um crescimento do faturamento de forma muito abrupta, fora da realidade do mercado. No gráfico abaixo, podemos verificar a evolução e aumento da média de participação de vendas do cartão de crédito em relação ao faturamento da empresa, onde em 2012 representava 30% e em 2013 está em 36%, um crescimento de 20%.


 
Este indicador de gestão é importante para a sua empresa? Você tem a gestão deste indicador?

Abordamos neste artigo o indicador de gestão Cartão de Crédito.
Em breve outros estudos de caso serão publicados.

Att.

Emerson Santana


Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Continue nos visitando