Pesquisar este blog

Tradutor

domingo, 7 de fevereiro de 2016

Sua empresa irá faturar R$2,4 bilhões em cinco anos? As empresas de Simulador sim!!!

Opinião a favor do simulador

Para Maria Cristina Andrade que é Consultora em Educação e Trânsito e ex-Coordenadora-Geral de Qualificação do Fator Humano no Trânsito do Denatran, o simulador veio para aperfeiçoar o processo de primeira habilitação. “O processo de formação de condutores tem passado por inúmeros estudos nos últimos anos e sabemos da necessidade de que seja modificado de uma forma global. O simulador, que é um projeto antigo, bem estudado e desenvolvido, faz com que os alunos tenham um melhor aproveitamento das aulas práticas e isso já está comprovado no Rio Grande do Sul”, explica. Fonte: www.portaldotransito.com.br

Opinião contra o simulador

David Duarte Lima, Doutor em Segurança de Trânsito e presidente do Instituto de Segurança no Trânsito, não concorda. Para ele, o simulador está sendo implantado no processo de formação dos condutores com finalidade exclusivamente comercial. “Não há qualquer país que adote esse modelo. Tampouco há qualquer estudo com representatividade sobre o tema. Os estudos existentes são frágeis, com amostras pequenas, sem validade para o Brasil. São experiências de “quase-laboratório”. Em 2015, conversei sobre o tema com mais de uma dezena de especialistas na Espanha, na Holanda, na Bélgica, na França. Alguns deles têm livros dedicados à formação de condutores. Há unanimidade: o simulador é absolutamente dispensável e sua contribuição na formação de condutores é desprezível. Conheço o processo de habilitação no Brasil. Há falhas, porém o simulador contribui apenas para complicar. O impacto sobre a segurança de trânsito será nula”, afirma. Fonte: www.portaldotransito.com.br

Analisando essas duas declarações com as fontes devidamente citadas, vamos aos fatos e números para esclarecermos alguns pontos:

Questão pedagógica

para evitar maiores delongas, todas as informações referentes ao tema estão ainda no campo ideológico e de uma grande expectativa, do que de fato, resultados concretos da eficácia desta ferramenta como a mola propulsora da salvação de inúmeras vidas no trânsito.

Segundo a Agência Nacional dos Detrans (AND) e informativo divulgado sobre um balanço do perfil de condutores habilitados no país, estes são mais de 60,4 milhões. Fonte: www.jb.com.br

Serão os novos condutores os responsáveis e salvadores da pátria devido a sua formação no simulador de direção por reduzirem o número de acidentes de trânsito no país?

Qual a representatividade dessa fração de novos habilitados em face aos 60,4 milhões de habilitados já existentes no país?

Os pilares do trânsito estão fundamentos na “Infra estrutura”, “Fiscalização” e “Educação”. 

O que fazer se o governo não nos fornece a estrutura mínima necessária para sustentação desses pilares?

Questão comercial:

analisando somente as condições de contrato em tempo e valores de uma das empresas de simulador  de maior representatividade e força no mercado, inclusive com o apoio dos principais sindicatos estaduais do país, para entendermos o peso da questão comercial:

  • Contrato de comodato. Valores de aulas de R$ 19,90 a 21,90 por aula dada no simulador.
  • Contrato de 5 (cinco) anos.
  • Exigência em alguns Estados de um mínimo de 150 aulas, ou seja, caso uma pequena Auto Escola não atinja este número mínimo ela arcará com a diferença de aulas.
  • Seguro mensal de R$ 80,00 (oitenta Reais) contra danos e problemas técnicos.
  • Universo de aproximadamente 12 mil Auto Escolas no país.


Vamos aos números:

Faturamento mensal:
  • 12.000,00 (Auto Escolas) x 150 aulas (mínimo) x R$21,90 (preço aula)

R$39.420.000,00 (trinta e nove milhões quatrocentos e vinte mil Reais)

  • 12.000,00 (Auto Escolas) x R$80,00 (seguro)

R$960.000,00 (Novecentos e sessenta mil Reais)

Total
R$40.380.000,00 (Quarenta milhões trezentos e oitenta mil Reais)

Faturamento anual:

R$ 40.380.000,00 x 12 (meses)

R$484.560.000,00 (quatrocentos e oitenta e quatro milhões quinhentos e sessenta mil Reais)

Este será o valor retirado da sociedade ou dos Centros de formação de Condutores em um ano.

Com um contrato de cinco anos esta empresa terá um faturamento garantido de apenas:

R$2.422.800.000,00 (Dois bilhões quatrocentos e vinte e dois milhões e oitocentos mil Reais)

Acredito que a questão comercial seja realmente a prioridade das autoridades do país neste momento e você, o que acha?


Para um segmento que apresenta uma retração de mercado em 27% em janeiro de 2016 vs 2015, é temerária a obrigatoriedade do simulador de direção ou qualquer outra ação impositória quando os indicadores de produtividade no país estão em queda, combinado com uma alta inflação e alto índice de desemprego. Afinal, um segmento que apresenta uma cadeia produtiva de no mínimo 180.000 (cento e oitenta mil) empregos diretos e 1 milhão de empregos indiretos, não pode ser tratada desta forma tão desrespeitosa!

Fica a dica!


Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 

3 comentários:

  1. Minha opinião. Que é pequena nesse universo de especialista e "doutores" experimentados. Pedagogicamente o simulador não moverá um milímetro na conduta (ato facto) do condutor. Sou instrutor de primeira habilitação, pedagogo, especialista em educação especial e metodologia de ensino; o simulador, nem a longo prazo consegui inculcar no pensamento dessa nova geração mudança de comportamento no trânsito. De o objetivo do simulador é diminuir o índice de acidentes, falha antes mesmo de iniciar.

    Comportamento se condiciona com educação, exemplos sociais e fiscalização (falando em trânsito).

    Estão querendo com o simulador corrigir o erro cultural. Nunca no Brasil houve educação no trânsito (para adolescentes e jovens) da forma que deveria ser. Hoje, neste tempo é que estamos vendo ser difundido as pós graduação em trânsito. Não há graduação em trânsito de fácil acesso como outras disciplinas.

    Enfim, quer diminuir os índices de acidentes no trânsito?

    Primeiro, valorize o profissional instrutor de transito (esse desajuste aconteceu pelo fato dos próprios CFCs não dar os devidos valor ao seu instrutor);

    Valorize a educação de trânsito;

    Valorize os especialistas em trânsito;

    Valorize os professores de curso d examinadores e instrutores e diretores capacitando-os promovendo a atualização e incentivando - os na profissão;

    Valorize os CFCs como parceiros e não como um ente inimigo do poder público;

    Enfim, repito, simulador pode ser até bom pra algumas coisas..claro que tem seu lado positivo tem que ter, mas que ele vai diminuir o índice de acidente...extrapolou o objetivo.

    Depois da aula no simulador, o aluno chegará na prática tendo que aprender tudo de novo, nada do simulador ser a colocado em prática nem mesmo no exame e nem mesmo nas ruas depois de aprovado

    ResponderExcluir
  2. Isso dá pra comprar algumas resoluções e alguns políticos não acham?

    ResponderExcluir
  3. Eu sou ex instrutor de trânsito meu nome é Leonardo de Alcântara silva meu email instrutorleo_10@hotmail.com

    Bem minha opinião é que o simulador não ajuda em nada.
    O simulador é só um meio das autescolas e as empresas que fabricam e aluga lucrarem.
    O sindicato e departamentos que fiscalizão a educação no Brasil esqueceram de seus clientes os alunos.
    Além de ferirem um direito de todos os cidadãos eles não motivam as empresas a trabalharem com qualidade .
    Meu antes não precisava fazer nenhuma aula.
    Aí as pessoas começaram a morrer no trânsito.
    Colocaram aulas obrigatória continuarão a morrer aí inventaram aulas teórica.
    Aí continuarão morrendo aí aumento as aulas práticas e teoriacas........

    Enfim mudaram tudo é nada de motivos os profissionais. Fizeram aula contrário desmotivaram nossa categoria colocaram um cartão �� e-cpf não serve pra nada e custa caro colocaram curso de reciclagem da nossa credencial a cada 5 anos e não temos nenhum benefícios
    Bem o trânsito tá a sim pelo simples fato de lucros.
    Cara empresa que dá treinamentos para habilitado cresce muito hoje em dia..

    Tenho muito para reclamar do transporte no Brasil..
    Mas como tudo falta olhar humano para a prestação de serviços

    ResponderExcluir

Continue nos visitando