Pesquisar este blog

Tradutor

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Planejamento Estratégico e Distrato de Contrato

Sabemos que o distrato de contrato pode ocorrer na relação comercial por diversos motivos e apresentar um impacto relevante nas despesas financeiras. Porém, acompanhar e ter a gestão deste indicador é muito importante na elaboração e execução de um planejamento estratégico. Este é um indicador interessante, pois ele mede diretamente o nível de satisfação de seus clientes, assim como, fornece informações sobre os problemas de gestão da empresa. Problemas estes relacionados ao atendimento, à infraestrutura, à execução e prestação de serviços ou sobre procedimentos financeiros bem definidos. Este indicador tem uma relação direta com o faturamento, onde estabelece um índice aceitável e de acompanhamento deste indicador.
Quer saber mais sobre a importância deste indicador na gestão de sua empresa?
1 Atendimento Este é considerado pelos empresários como o ponto mais sensível na relação comercial com o cliente. Investir em treinamentos para melhor atender e captar cada vez mais clientes também é um consenso entre eles. Porém, o dia a dia da empresa também será determinante para a manutenção daquele cliente que foi conquistado num primeiro momento pelo bom atendimento. A postura e comportamento dos colaboradores da empresa ao longo do processo da prestação de serviços, muito tem a dizer sobre o desejo do cliente em solicitar o distrato de contrato. Podemos citar alguns como; vocabulário e gírias, gritos, reações intempestivas entre colaboradores, empresários e clientes, desorganização, desorientação, apresentação pessoal, entre outros.
2 Infraestrutura administrativa e operacional Em um primeiro momento, os problemas de infraestrutura são até superados pelo excelente atendimento lá no início. Mas, se problemas estruturais persistem e não são tratados dentro de um cronograma que os solucione de forma satisfatória ao cliente, esta relação vai caminhar para o distrato de contrato. Podemos citar alguns problemas recorrentes como causadores do rompimento desta relação comercial. Entre eles estão: sala de aula com cadeiras desconfortáveis, danificadas, calor excessivo, ausência de recursos didáticos dinâmicos, banheiros sem a higienização adequada, a manutenção e limpeza dos veículos.
3 Contratos A boa relação entre o cliente e a empresa sempre será direcionada pela elaboração e execução de um bom contrato, que resguarde os direitos e deveres de cada parte nesta relação. O procedimento operacional de preenchimento e assinatura do contrato de forma correta deve ser bem definido no ato da venda e contratação dos serviços. Assim sendo, o contrato oferecerá a empresa garantias e previsibilidade financeira, caso o desejo de um distrato de contrato não seja revertido, respeitando as cláusulas contratuais, prazos, multas e ressarcimentos devidos. Empresas que não possuem procedimentos administrativos e financeiros consolidados se tornam vulneráveis às decisões e incertezas do cliente, gerando demandas judiciais e despesas financeiras que afetam o fluxo de caixa da empresa.
Manter a gestão sobre os aspectos anteriores é primordial para se ter o controle e acompanhamento do índice de distrato de contrato dentro do limite aceitável para uma gestão eficiente.
Att.

Emerson Santana

Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 


terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Palestra: "Planejamento Estratégico e Indicadores de Gestão"

Em momentos de instabilidade econômica, o conhecimento, a dedicação e parcerias relevantes são o diferencial para se sobressair em um mercado tão competitivo.

Os meus sinceros agradecimentos a PÓSGRADUAR e SINDAUTOESCOLA-SP pela confiança creditada em nossos serviços.

Att.
Emerson Santana

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Planejamento Estratégico e Gestão de Faturamento

A gestão do faturamento é um dos indicadores do Planejamento Estratégico que deve ser observado de perto sobre vários aspectos e, não somente, sob a ótica de aumentar o faturamento em volumes financeiros. Nem sempre “vender mais”, necessariamente, significa “ganhar mais”.
A saúde da sua empresa estará comprometida caso o binômio “Vendas e Rentabilidade” não seja a sua maior preocupação.
Você empresário, sabe quais são os principais aspectos do indicador faturamento a serem observados?
1 Política de descontos O desconto é um recurso estratégico para aumentar as vendas em períodos sazonais, isto é, em períodos ou épocas que o evento de queda das vendas costuma ocorrer. Cada segmento possui períodos específicos de sazonalidade e é exatamente ai que o plano estratégico, focado no aumento das vendas, deve entrar em ação.  Neste momento, o recurso do desconto deve ser considerado, estabelecendo assim, a melhor estratégia do percentual a ser praticado, o público alvo a ser atraído, o período vigente da promoção, assim com, o objetivo financeiro a ser atingido. Parece óbvio, mas quais objetivos financeiros devem ser contemplados em uma ação promocional?  Fluxo de caixa para se planejar ou quitar dívidas existentes? Praticar descontos justamente em períodos de crescimento do faturamento por despesas adquiridas sem o devido planejamento? Fidelizar clientes sem se preocupar com a rentabilidade e qualidade na prestação dos serviços? Promover descontos e ainda sim parcelar as vendas em inúmeras vezes, sob o argumento de fortalecimento da marca?
Cuidado! Sua empresa pode entrar num ciclo sem fim de desespero e subsistência.
2 Despesas que incidem sobre o faturamento As despesas sobre vendas é um indicador expressivo do relaxamento do empresário em não computar estes custos na apuração dos resultados das vendas de produtos e/ou prestação de serviços. Mas, quais são estas despesas que podem afetar o lucro da sua empresa? A inadimplência gera custos financeiros; distrato de contratos gera custos financeiros e demandas judiciais; bônus sobre vendas sem a devida elaboração e estudos corrói a margem de lucro; juros do cartão de crédito sem negociações periódicas com as operadoras diminui a rentabilidade da empresa. A ausência de gestão sob estes aspectos consolida a máxima de que “vender mais”, necessariamente, não significa “ganhar mais”.
3 Concessão de crédito e prazos elásticos de recebimentos A gestão estratégica do faturamento passa, necessariamente, pela concessão de crédito oferecida ao cliente. Vender, oferecer um parcelamento elástico e não receber, causa um grande problema de fluxo de caixa e despesas financeiras para a empresa. Ter a gestão dos recebimentos é primordial para a empresa se planejar, criar um fluxo de recebimentos para pagamentos e investimentos. Vender e não receber gera inadimplência, que pode gerar distrato de contrato, insatisfação do cliente, demandas judiciais, despesas financeiras e posteriormente, refletir na queda das vendas e diminuição dos lucros. A época das vendas como em antigas mercearias, anotando no caderninho e rezando para que um dia o cliente pague, não faz parte mais da gestão das empresas nos dias atuais. A gestão do faturamento vai além das expectativas religiosas em receber, como receber e quando receber; como se a empresa estivesse fazendo um favor em receber pelo produto e/ou serviço prestado. Neste caso, “vender mais” e não receber, não significa “ganhar mais”.
4 Imposto sobre as vendas Vender mais é sempre bom, enche os olhos do empresário e o faz acreditar que é possível vender sempre mais. Mas, vender mais e não estar atento à concessão de crédito e política de vendas de boleto e cartão de crédito, trará ao empresário um aumento considerável dos impostos. Despesas financeiras como; tarifa de registro e baixa de boleto, taxas de juros praticadas pelas operadoras e principalmente, mudança no perfil de vendas, promoverá uma alteração da alíquota do imposto. Uma ação desastrosa e sem planejamento trará consequências imediatas e considerável redução da margem de lucro futuramente.
Estes são alguns dos principais aspectos a serem considerados no indicador de gestão faturamento. Sendo assim, podemos concluir que parte do sucesso da gestão de uma empresa, necessariamente, passa pelo “Planejamento Estratégico e Gestão do Faturamento”.
Att.

Emerson Santana

Texto/Opinião: Emerson Santana.
* Graduado em Ciências Econômicas pela UFSJ – São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão em Finanças  pela UFSJ- São João Del Rei/MG
* Especialista em Gestão, Educação e Segurança para o Trânsito - Belo Horizonte/MG
* Consultor Administrativo e Financeiro
* Ministra Cursos de Orçamento Pessoal e Familiar
* Ministra Cursos de Gestão Financeira para MPE's in Company 


Continue nos visitando